São Paulo, 24 de setembro de 2017.

   Querida mulher,

   tem um bocado de gente querendo te agradecer por você existir. Simples assim. Mas às vezes lhes falta oportunidade, coragem, tempo. Sei lá. Então quis fazê-lo em nome de todos esses corações gratos. Porque você merece saber a força que tem sua presença nessas vidas todas por aí. Obrigada por aparecer e olhar para cada pessoa com tanta ternura e aconchego. Por passar conforto e apoio em seus sorrisos, gestos e palavras. Também por olhar os rostos com o mais sincero carinho e dizer verdadeiramente que tudo-vai-dar-certo.

   Você precisa saber que irradia luminosidade quando passa por caminhos escuros. Se são claros, você intensifica. Quando frios, aquece. Se quietos, agita. Caso transtornados, acalenta. Gratidão é o que quero te passar. Eu e mais um punhado de alminhas por aí. Acredita em mim. Mesmo.

   Seu jeito inspira. É mulher na mais bela forma de sê-la. É firme, delicada; séria, sorridente; jovem, madura. Mulher, menina. Menina, mulher. Mãe, amiga, mestra, conselheira. Paz, carinho, amor, conselho. Você.

   Ensinar é arte. Você é artista. É dom. Fica visível que vem da paixão que te move. E talvez por isso você pinte telas tão lindas e vibrantes. Com acabamentos tão bem feitos – mesmo quando em meio ao caos da luta de cada sobrevivência conduzida, em parte, por você. Obrigada por pincelar esboços de caminhos. E mostrar como empunhar os pincéis para depois os colorir. Por entregar o beabá da existência nesse mundo que vemos tão inseguros. Por passar essa segurança. E confiança. Por ser luz. Por ser você.

   Obrigada, querida mulher.

Comentários
Compartilha no FB!