Abre,
pro sol entrar.
(no)Teu peito,
que sempre foi casa onde quis morar.

Aumenta,
pro mundo inteiro ouvir.
Tua voz,
que é música boa que faz qualquer um sorrir.

Estende,
pra dar tempo d’eu pegar.
Sua mão,
que é corda pra não me afogar.

Brilha,
a luz que é pra guiar.
Seu olho,
que é farol para não deixar a escuridão ficar.

Comentários
Compartilha no FB!