9 de fevereiro de 2015

Continuo Acreditando.

Depende de como começo, tudo depende disso, do meu dia a meu texto, do que bebo a teu beijo, tudo depende de como começo, e hoje decidi começar por aqui, ainda bem…

Se você parar e ver meu copo de bourbon é o que menos importa, na verdade, o que me importa é que eu tô a horas em frente essa maldita tela de lcd, led, plasma seja lá qual for é a tela do computador que eu quero te falar, ela brilha demais acho que isso me atrapalha e mesmo assim acho que não consigo dizer que esqueci esse assunto por um minuto.

Hoje eu tava na varanda do meu prédio, era bem cedo e estava bem frio, tava com meu café na mão, com uma calça e blusa de moletom, afinal, passar frio é uma escolha e eu não escolhi passa-lo, teve uma coisa que me chamou muito a atenção, na varanda do prédio a frente tinha um casal, tive o prazer de contar os andares, eram treze e exatamente no quinto estava um casal de velhinhos, debruçados na grande de proteção, cada um tinha uma xícara, eu acho que deveria ser café, cada um tinha um pão e eles conversavam e riam e se entediam, claro que isso é um palpite porém pra mim era visível, palpável, eles eram lindos, combinavam, tinham cabelos brancos, pele de gente de idade, eles eram lindos em todos os sentidos, eram exatamente tudo que eu gostaria de ser, na verdade eram exatamente tudo que eu sei que nunca serei…

Eu poderia mentir, cá entre nós, vocês nunca descobririam, mas eu não conseguiria, eu não poderia esconder que estou chorando, não posso negar, eu segui um sonho mas eu acabei deixando outros dois de lado, uma vez ouvi de uma pessoa que eu seria assim, quer dizer, ela disse “nós seremos assim”, essa pessoas queria que eu envelhecesse com ela, ela se foi, tantas outras se foram, e eu continuei acreditando, acreditei até o meu nível de masculinidade atingir o limite, ou seja?

Chorei feito uma criança, sozinho, na minha cama, mas tudo bem, tenho dinheiro pra comprar outro bourbon, pra pagar a energia dessa tela ligada a quase 5 horas.

Eu na verdade, descobri hoje que falta alguma coisa e não é mais uma garrafa, descobri que falta alguém.

Compartilha no FB!
SHARE:
Cronica, Literatura 0 Replies to “Continuo Acreditando.”