26 de janeiro de 2015

“Só” Saudade

Fui prum lugar onde não tinha ninguém, era só eu e um monte de árvore, água e o que mais a natureza pudesse me oferecer.

Quer dizer…

Sendo mais honesto, tinha também algumas pessoas e todas pareciam estar avulsas, porém, estavam felizes e se divertiam.

Eu, mais ou menos…

Confesso que de fato não existia muita coisa que me deixasse triste, mas sabe quando “sei la”? Me sentia vazio, frio, e quando percebi, caí em mim, a natureza me ouviu, me viu e tirou todo o sol que aquecia todo mundo.

Agora o dia estava forrado de verde com uma mistura de cinza chumbo, ia chover, tinha certeza disso, não sei se eu estava pronto pra isso, então pensei, agi e me refugiei em um abrigo, fui rápido parecia seguro, olhei pros lados, tinha corrido sozinho, ninguém tinha me acompanhado, dado a minha intensidade a verdade é que corri sozinho e todo mundo ficou me olhando, me taxando como louco.

Não que eu ligue, nunca liguei, mas me toquei, entendi o que acontecia, hiperbólico e metafórico como costumo ser, na verdade, era “só” saudade de você.

Compartilha no FB!
SHARE:
Cronica, Literatura 0 Replies to ““Só” Saudade”