20 de junho de 2017

Um mês de inverno intenso.

A noite anda aparecendo sem avisar ultimamente, e não sei até onde é coisa da minha mente ou é só a falta de você que me faz pensar assim, mas percebeu que os dias andam mais frios também? Parece que a terra sabe que você não está aqui, eu preciso demais cobertas e moletons, mas também resolveria se você voltasse, não há frio que um sol não esquente, né?

Achei as coisas que você escreveu pra mim, decidi que não lerei tudo de uma vez, tomarei doses homeopáticas de você, na minha cabeça pode funcionar pra acalmar a falta que venho sentindo, e peço perdão de antemão, mas hoje tomarei duas doses, preciso dessa dosagem pra aguentar mais esse dia.

Esses dias atrás fui levar o cachorro pra passear, aproveitei pra espairecer um pouco, ando com muitas coisas na cabeça, você não acreditaria o ar estava tão gelado que doía um pouco pra respirar; mas mesmo assim te deixaria feliz ver que as arvores da praça próxima de casa nunca estiveram tão verdes, queria que estivesse aqui pra ver. Com certeza saberia de qual espécie ela é, e de pronto me diria pra que serve, aí começaria a dizer muitas coisas que eu jamais ousaria pensar, eu sorriria sem entender metade das coisas ditas, e no final admiraria como você ficaria feliz em me explicar tudo isso.

Já faz um mês que ando contando os dias que não fazem mais sentido pra mim, que não precisam ser contados, espero que esteja em algum lugar, espero que eu consiga chegar aí um dia, enquanto isso vou seguindo por aqui, se você conseguir me enxergar ou ler tudo isso que escrevo aqui, sozinho, saiba que um dia eu vou chegar e aí então não vou mais precisar contar, não vou mais precisar te visitar, estarei com você, assim como foi um dia.

Com carinho de alguém que pra sempre vai te amar, pra aquela que é o amor da vida desse alguém.

Compartilha no FB!
SHARE:
Cronica, Literatura 0 Replies to “Um mês de inverno intenso.”