25 de julho de 2019

O mapa da cidade

Parei de caminhar sem direção, logo eu que saía por aí sem mapa nenhum.
Nessas idas, me perdi mais vezes do que sei contar,
Me vi em vários outros que não consigo mais descrever.

E tem jeito pra tudo, eu sei.
Nunca perdi a esperança de esbarrar em algum caminho.
Isso porque nunca tive medo de estar perdido, sem gps.

Sabia que não queria ir onde o vento me levava.
Queria parar quando entendesse que era a hora certa. (e foi)
Responsável pelo meus passos, caminhei até cansar.

E percebi que não existia lugar onde passei que não lembraria,
Eram todos destinos q’eu guardei. (em mim)

Entendi que não existe coordenada, se não houver destino,
Poderia correr, pois não há fim pra quem não sabe onde chegar
Então decidi que nunca mais sofreria perdido,

Esquecido, diminuído num concreto tão grande que chega a sufocar.

Foi aí que me olhei no mapa e lembrei de você.
Foi aí quando não te vi, que decidi nunca mais esquecer. (de mim, de você)

Compartilha no FB!
SHARE:
Literatura, Poesia 0 Replies to “O mapa da cidade”